25/01/2008

Katharsis




Se a world music, vasta como é, se pudesse condensar num só vocábulo, seria Katharsis. Estes senhores primam pela versatilidade, pela descontração com que brincam com os inúmeros instrumentos, pela empatia que criaram com o público no concerto que tive o privilégio de assistir ontem. A ajudar, o patrocínio da aura que só um espaço centenário como o Grémio Lisbonense poderia proporcionar.

A diversidade sonora é tal, que com alguma imaginação passamos, no espaço de minutos, de uma cenário western (patrocinado por sonoridades country) para uma qualquer praia jamaicana (onde impera o roots reagge), passando ainda pelos Balcãs, onde impera a influência Kusturica.

A composição é genial, louvável, alegre. Fazendo por isso pouco jus ao conceito aristotélico com que se baptizaram. A prestação de Katharsis proporciona sem dúvida uma purificação das almas através da descarga emocional. Mas esta não é provocada por um drama, enquanto conceito recuperado da tragédia grega, mas antes por um estado de euforia que se apodera de cada centímetro do corpo e nos põe a mexer.

É difícil enumerar todos os estilos que se cruzam na música destes senhores. Têm presença forte o reaage, o ska, o trance instrumental, as sonoridades étnicas e folk, e ainda um surpreendente toque country que me desarmou. Sem faltar o cover de Stand By Me, para dançar juntinho, ou citando Tommy, para "encaixar como pecinhas de Tetris". Se bem que o apelo tenha sido feito numa outra música, faria também aqui todo o sentido.

Katharsis mereciam mais projecção e concerteza seriam bem aceites junto daqueles que cada vez mais se abrem a este tipo de produções que fogem ao mainstream, num registo indie ao qual é impossível resistir.

Estão de bom saúde. E recomendam-se!

Visitem-nos em: http://www.myspace.com/skatharsis

5 comentários:

Maria del Sol disse...

Hummm... isto soa bem :) Por falar em "world music", conheces Dazkarieh e Terrakota? Se gostas de Katharsis és capaz de gostar tabém destes dois últimos.

Baci!

dona disse...

que inveja. e eu em casa com os livros.

Jaime disse...

Parecem ser uns castiços, estes aristotélicos. :-)
Vou saber mais. Belo relato. Obrigado.

H4rdDrunk3r disse...

Sim, Maria, Terrakota tenho a discografia, e Dazkarieh tenho uns pirateados, mas ainda não estão muito divulgados, pelo menos tanto quanto mereciam!

Obg*

Menphis disse...

Gosto de world music...vou pesquisar melhor.