28/01/2008

Hoje é um daqueles dias



Em que me apetece fumar, sem pensar que me faz mal, e que mata, e que fico infértil, e que ficaria impotente se fosse do sexo masculino.

Em que me apetece beber, sem pensar no meu fígado, sem pensar no estômago quando começar a vomitar, sem pensar no mau hálito, nos dentes roxos, na dor de cabeça de amanhã.

Em que me apetece reter os cheiros que me passam pela pele, aqueles que adoro, réstias de segundos que foram e não voltam a ser. Sem pensar que existe amanhã, que existem outras pessoas.

Hoje apeteci-me entrar naquele avião que vi passar e aterrar em Paris, beber uma aguardente francesa em Mont-Martre, esquecer que posso ser despedida e que estou sem dinheiro sequer para apanhar um autocarro até ao aeroporto.

Hoje apetecia-me voltar a ser uma mulher rural, voltar a viver no campo, esquecendo todas aquelas coisas que me fazem falta na cidade. O buliço, a Baixa e o Bairro, o cinema e os teatros, os concertos e os bares.

Apetecia-me ser pequenina outra vez, e voltar a sentir a alegria inocente de descobrir que na praia também há hortaliças (limos, entenda-se), e brincar com o meu irmão na areia, até não aguentarmos mais o cansaço que o sol e o próprio ar do mar nos fazem sentir.

Hoje é um desses dias em que tudo o que não me serve está a mais, e tudo o que eu queria está a menos.

8 comentários:

Jaime disse...

Azar do caraças. De tudo o que te apetece, só podes mesmo agora é fazer as que te lixam a saudinha. :-)
Eu também deixei de beber álcool, só de pensar que se estivesse grávido podia fazer mal ao bebé... :-)

planeta Claudiano disse...

Sentimento parecido por aqui...

bjecas disse...

Eu também brincava às saladas na praia... (suspiro)

\m/

dona disse...

"porque eu só estou bem, aonde eu não estou..."

Rosa dos Ventos disse...

C´est la vie...
Eu acompanhava-te a Montmartre!

Abraço

Vertigo disse...

Percebo...

Beijo*

Menphis disse...

Também gostava de pegar numa mochila, meia dúzia de livros, o meu ipod recheado de músicas, uma máquina fotográfica, uma caneta e um bloco de apontamentos, esquecer do telemóvel e viajar, conhecer novas pessoas, criar uma nova vida e descobrir a aventura.

Ando muito a precisar disso.

agriao disse...

Percebo-te perfeitamente...

*