23/05/2008

Is there something wrong with me?!

Mas porque raio deciciu a blogosfera EM PESO idolatrar este filme? E dizer que é lindo e faz chorar as pedras da calçada, bla bla bla?!

Achei tão básicozinho, tão indiezinho de trazer por casa, banda sonora tão repetitivazinha, enfim... um filmezinho!

Não sou cinéfila. Pseudo, talvez. Se estou a dizer barbaridades, perdoem-me os entendidos na matéria.

É provavelmente mais um acesso hormonal, nada mais.

16 comentários:

xixicocó disse...

nao me irritou por aí alem, mas tambem nao me excitou muito.. acho que concordo contigo, portanto. nem sequer sabia que havia uma grande fuss a volta dele

Porcos no Espaço disse...

Se calhar não percebeste bem... É alternativo.

Menphis disse...

( ups...um recado para mim )

Ora bem, não é UM dos filmes que mais me entusiasmou, mas até que gostei. O problema é que antes deste, já houveram alguns melhores do que este. Se esses não existissem, este seria dos melhores. Mas até que gostei :)

Von disse...

Trazendo o título do post anterior... e antes de desatar a ver os alternativos de hoje, que tal ver os alternativos de ontem? Por exemplo "Feios, Porcos e Maus " de Ettore Scola, com Nino Manfredi.

Von

Mr.T disse...

Este filme é para todos(as) as Blueberry Pies que andam por aí e que ninguém lhes pega, eheheh. Tu certamente és uma Apple pie ou Strawberry pie, e por isso não te reviste no filme como essa gente toda.

Agora a sério. Não é o meu filme preferido, mas também não o odiei assim. As personagens são fraquinhas é certo, mas a ideia está engraçada e a fotografia é sublime. Gosto muito como o realizador filma a relação dos dois como se fosse um voyeur por detrás das vitrines.

Baci mille

RV disse...

pois...hoje vou tirar isso a limpo

Abssinto disse...

Estou tão contigo... Entediante mesmo, eu diria (e estou habituado a este teipo de cinema). Preferi outro mais ou menos similar e de que ninguém fala, o "Tudo o que perdemos".

Vanessa disse...

recuso-me a ver este filme enquanto a poeira não assentar! parece que anda tudo enfeitiçado ou coisa que o valha... espero não me desiludir muito mas já estou por tudo...

beijinhos*

s. disse...

acabei de apagar um comment bastante longo sobre este teu post mas achei por bem não o publicar. achei que ainda ia ferir susceptibilidades. de qualquer forma ainda não vi o filme por isso sobre ele não posso falar.

curse of millhaven disse...

eu casava tanto com o jude law. só posso dizer isto, já que ainda n vi o dito filme

:)

corine disse...

é provavel que as hormonas tenha o seu peso nisto tudo...

tanto nas lágrimas das pedras da calçada como no resto mas, ainda assim acho que o filme não pretende ser mais do que aquilo que realmente é. Só por isso por mim vale um aplauso.
Gravado em meia duzia de semanas, reprensentações sem esforço, uma mensagem neutra, história sem muito sumo, tudo isso e mais um par de botas, no entanto...que resultado tão agradável.


Talvez vendo alguns dos outros filmes do autor se possa identificar mais qualquer coisa que este filme também tem de diferente

serotonina disse...

Eu também não achei nada de especial, isto porque conheço bem a obra do realizador. até fiquei desiludida, como escrevi aqui:
http://sinapses-axodendriticas.blogspot.com/2008/04/my-blueberry-nights.html


de qualquer forma, fico contente por haver alguém que também não achou nada do outro mundo, já me estava a ver no workshop de sensibilidade, descubra-a!

Francisco disse...

sim, é rasca mas em termos de filmagem e edição tá fixe (também não percebo nada de cinema).

Menphis disse...

Quando disse que era um recado para mim, estava a brincar. Sou perfeitamente democrático nos gostos e compreendi bem o teu ponto de vista também já me aconteceu o mesmo :)

Beijocas

jmp disse...

2º comentário na primeira visita ao blog: de acordo. também não sou cinéfilo. apenas apaixonado por cinema. o filme tem tudo (ou quase) para poder ser um grande filme. mas não é. não há esse aproveitamento de ideias que podiam resultar em cinema. vê-se bem. mas sem culto. (comentário bem mais curto que o primeiro).

Ema disse...

é lindo, lindo, lindo. um hino à intimidade humana, que é a coisa mais preciosa que temos, a dois.