20/05/2008

E agora, o Sistema Nacional de Saúde!!!

Desde 5ª feira à noite que estou doente. Daquelas constipações que nos agarram à cama durante 5 ou 6 dias. Como fiquei sem médico de família após a transferência de centro de saúde, tenho duas opções: ou vou para o médico às 8h da manhã para tentar (sim, tentar, porque não é garantido) uma consulta do reforço, ou vou entre as 18h e as 22h. Naturalmente, opto sempre por ir à noite. Porque há muito menos gente, e não tenho que ir às 8h, regressar a casa e fazer tempo e voltar lá para as 11h, quando o senhor doutor se lembrar de me atender.

Até à passada 6ª feira, o médico que me atendia passava-me sempre uma declaração para apresentar no trabalho. Estando doente, é o mais natural. Mas desta vez não. O senhor doutor lembra-se de me dizer que está afixado algures que isso é proibido. Contraponho, dizendo que sempre o fiz, mas não, ele diz que é proibido. Volte cá na 2ª às 8h, que lhe passam isso no reforço...

Temos um lindo SNS, sim senhor. Para além de me fazer pagar a merda das taxas moderadoras duas vezes (sim, que eu não sou isenta, não tenho caixas nem ADSE's nem o diabo a sete), ainda se sobrecarregam a eles próprios, ao obrigarem-me a lá voltar, a pedir consulta de reforço, a encher as já de si cheias filas para o médico, bla bla bla. Pobres das velhinhas cheias de reumático, que vão para lá fazer a conversinha do costume com o médico de família, a levarem comigo, toda ranhosa e insuportavelmente rabujenta, a roubar-lhes a vez! Que horror!

E pronto, não tive outro remédio senão voltar na 2ª feira. Para pedinchar um lugarzinho no reforço. Por acaso continuava doente. Caso contrário, faria a ridícula figura de voltar apenas para pedir o papelinho, e se o médico desse dia decidisse estar mal disposto, às tantas nem mo passava. E lá fui eu, ficar durante meia hora no consultório com a senhora doutora. 5 minutos para me auscultar o peito, outros 25 para ficar a olhar para o monitor, a fazer não sei bem o quê, enquanto eu desfalecia.

A sério, que mal fiz eu...

7 comentários:

pombamarela disse...

SIM, os centros de Saúde dá vontade de correr toda a gente à estalada. A começar na pessoa que te atende ao balcão até ao médico. Das 2 vezes que estive grávida e tive mesmo que lá ir, foi um tormento, foi em 2 centros de saúde diferentes mas o funcionamento é igual, a falta de informação, os maus odos, as longas esperas... um horror.

Blue_@ngel disse...

Sabes, infelizmente é o nosso SNS...
Aqui há uns anos atravessei uma fase em que mês sim, mês não estava doente, e eu quando fico doente é de caixão à cova. Falando de gripes, claro. Nessa fase, a gripe foi uma das coisas que mais me apoquentou, entre outras. Mas continuando, tive que ir várias vezes em busca de uma consulta de reforço, que acho que antes nem tinham esse nome. Conclusão, fui lá várias vezes, ocupei tempo, espaço, levei com más disposições de funcionários mal formados, e acho que pelo menos uma ou duas vezes, saí de lá mais doente do que quando entrei. Sim, porque para apanhar ou agravar doenças, nada melhor que um centro de saúde ou hospital. Enfim... Entristece-me este sistema de saúde. Ainda para mais quando estive no Luxemburgo, e provei um pouco do deles...
As tuas melhoras.
Beijocas, sem me aproximar muito. LOL

Maria del Sol disse...

O que mais me assusta, quando leio o teu testemunho, é pensar que no futuro as coisas só tendem a piorar. Fecham-se hospitais, pedem-se médias astronómicas aos candidatos a médicos (o que faz que 90% deles, para poderem tirar tais notas, ajam imbatíveis de estudar, sem um pingo de humanidade) e deixa-se abandonado à sua sorte quem não fez um seguro de saúde milionário.
Só no dia em que a nossa classe política for obrigada a ir aos hospitais públicos é que alguma coisa será mudada, mas parece que em Portugal a regra, quando se chega ao topo da carreira, é uma amnésia crónica que afecta todo o período anterior à ocupação de cargos públicos.

Este comentário saiu-me particularmente panfletário, eu sei, mas esta é uma preocupação muito premente porque ninguém está livre de adoecer e porque tenho assistido a inúmeros casos de alunos, como o do meu irmão, com notas bastante acima da média que por décimas não entram no curso. O que raio se passa num pais quando a lei sugere que exercer Medicina e ser humano passaram a ser coisas diferentes?!

Menphis disse...

Parece que ficamos doentes ao mesmo tempo :) No meu caso, telefonei para a minha médica de família e a resposta foi " venha ás vagas, tenho consultas até ás 20 horas. pode ser que tenha sorte." Como já sei o que a casa gasta, e como a minha empresa faz-me o favor de me pagar um seguro Médis, pus os pés ao caminho e tive que recorrer a uma clínica privada. Pelo menos fizeram-me exames atrás de exames, fui bem consultado e bem medicado.

lampâda mervelha disse...

Eu espero pelo anoitecer e vou ao SAP. Felizmente o que me leva até lá é quase sempre a mesma coisa, nada de muito grave. Há um médico que é porreiro porque até me deixa escolher o que desejo tomar. Não vale nada como profissional, mas é porreiro para aviar droga à malta.

E já agora, como estás?

curse of millhaven disse...

as melhoras pá!

isto se esperarmos plo SNS nunca mais. tamos uma bocado mal, realmente :(


bjinho!

Rosa dos Ventos disse...

Espero que já te sintas melhor e que não voltes a precisar do SNS nos próximos anos!
Abraço solidário