27/02/2008



Mr. P.: Como é que te sentes? Estás à beira dos 23!

H4rddrunk3r, (muito pronta): Uma miúda!

Mr. P.: Pois... se calhar, precisavas de crescer um bocado!

H4rddrunk3r: Achas mesmo?

Mr. P.: Acho, H4rddrunk3r...


E eu fiquei a pensar naquilo. Será que ele tem razão?


Eu trabalho, pago renda, pago água, luz e gás em duas moradas diferentes, cozinho, vou ao supermercado, lavo roupa, loiça e passo a ferro, uso saltos altos, tenho carro, levo o carro à inspecção, à revisão dos 5.000 e à oficina, pago o seguro do carro (sabe Deus a que custo... chiça!) e ainda finjo que tomo conta do meu irmão mais novo.


E nada disto chega para me sentir uma adulta em pleno (se estivessem aqui comigo, veriam os pelinhos do braço a eriçarem-se só de pensar nessa palavrinha)!


A partir de que idade em concreto é que se sente o adultismo a apoderar-se de nós? Há algum balcão ou guichet ou se devem dirigir aqueles que não se adultificam na idade certa? E quem não quiser fazê-lo, sofre alguma penalização? É excluído dos círculos sociais?


A Ethel Barrymore disse um dia que Tornamo-nos realmente adultos no dia em que conseguimos rir de facto... de nós mesmos. Mas eu já faço isso. Sempre o fiz, sem pudor.


E nem por isso me sinto mais adulta.


12 comentários:

d. disse...

Eu tenho mais uns e continuo a não me sentir adulta (antes a morte!!! :)

E é verdade que passo os meus dias a rir-me: de mim, dos outros, da vida...

"Everybody knows I don't wanna grow!!"

nelio disse...

e o que é isso de ser um adulto em pleno?

H4rdDrunk3r disse...

Eu própria não sei, às vezes escrevo coisas cujo significado desconheço na esperança que as pessoas reparem e me perguntem e eu depois não sei responder...

Lover disse...

com bem mais uns aninhos que tu...adoro o princepezinho que tenho em mim...e se um dia ele vai embora não sei o que será de mim ;)

curse of millhaven disse...

pah eu acho que o teu texto é de uma mulher plenamente adulta. mas o adulto não tem de ser no sentido de cinzentão e de grande seriedade. ser adulto é bom quando se é assim como tu demonstras: com responsabilidades mas sempre pronta para a palhaçada!

eu plo menos vejo o adulto como uma coisa boa.

Anónimo Juvenal disse...

Eu sou mais velho...e sou bem mais puto!...Nem pago rendas, nem seguros, nem tomo conta de ninguém a não ser da minha cadela e mesmo assim, às vezes é ela que toma conta de mim...por isso vejam lá a criança que ainda persiste dentro de mim.
As pessoas às vezes julgam-nos pela nossa personalidade brincalhona, bem disposta, humor apurado e uma espontaneidade característica da criançada. O que é certo é que muitas vezes não conhecem o outro lado, ou não querem conhecer...ou até conhecem, mas não se apercebem dele porque o camuflamos, talvez para tornar a vida mais leve...
Como já te disse, invejo a tua força e boa disposição, e sei que és uma mulher adulta que apenas tem uma parte criança dentro de si. E não temos todos...!??!
Há quem ache que n...que já é muito adulto!...Essas não são crianças...são infantis...pobres desgraçados...devem viver vidas bem chatas...

*

Ema disse...

se fosse assim eu estava super adulta! também me rio muito de mim mesma...

e acho que és uma mulher crescida, sem qualquer tipo de infantilidade. essas coisas vêem-se pelo tipo de decisões que as pessoas tomam, todos os dias. e eu vejo-as de perto.

Ema disse...

se fosse assim eu estava super adulta! também me rio muito de mim mesma...

e acho que és uma mulher crescida, sem qualquer tipo de infantilidade. essas coisas vêem-se pelo tipo de decisões que as pessoas tomam, todos os dias. e eu vejo-as de perto.

Menphis disse...

Eu quero ser sempre criança, e se possível, sem essas despesas todas :) O livro do Dilbert que estou a ler diz que as pessoas se levam demasiado a sério, o que concordo plenamente.

Jaime disse...

Cá por mim já és adulta, lá disso não escapas, mas ainda tens é de te habituar a isso. De resto, podes continuar assim que pareces muito bem! :-)

Sorrisos em Alta disse...

E quem quer ser adulto????

Ervilha Escriba disse...

Olá :)

Vim visitar-te e já descobri que ainda há pessoas que passam a ferro!

beijinhos da horta

Ervi