19/04/2008

Sabes, concluiu por fim, eu queria era fazer amor. Aquela frase era de uma infantilidade tal que me deu vontade de rir. Esperar amor de uma one night stand. Tudo isto enquanto esperávamos por um taxi, debaixo de uma chuva que não dava tréguas.

A Esparsa abordou a questão, e eu fiquei com a pulga atrás da orelha, o assunto ali a morder. Parece que anda para aí a insurgir-se uma corja de gajedo a la mode de Samantha Jones e companhia, muito apologista da libertinagem sexual e do one night stand. Gajedo urbano, independente e emancipado. É vê-las no Bairro e no Lux, no Chiado e no Adamastor, de copo na mão e sex appeal em riste, a fisgar a próxima vítima. Gajas "masculinizadas", frias e insensíveis, que pouco se importam se o gajo passa a noite ou não, se fica para o pequeno almoço, se liga no dia a seguir.

Dizem elas.

Depois vai-se a ver, e a gaja não queria só sexo. Queria fazer amor. A-M-O-R. Queria um gajo onde se pudesse aninhar, um gajo que no dia a seguir não cheirasse a álcool e que lhe levasse o café à cama, que lhe enrolasse um charro de erva e ficasse com ela a alucinar, a fingir uma falsa cumplicidade que ambos sabiam ilusória. Que a levasse a passear ao Borda d'Água e depois a jantar à Bica do Sapato. O gajedo anda para aí todo de nariz empinado, mas lá no fundo, bem lá no fundo, ainda há uma réstia quase imperceptível de sensibilidade de gaja. Tempos curiosos, estes que vivemos...


#:Carlos Hauck

15 comentários:

Jaime disse...

Que lhe levasse o café à cama? Um gajo empregado de hotel mas mais culto e mexido? :-)

TV Digital disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the TV Digital, I hope you enjoy. The address is http://tv-digital-brasil.blogspot.com. A hug.

s. disse...

há por ai muita gente a brincar às bonecas. passam a vida a maquilhar feridas . acham que se não olhar para elas, elas deixam de existir. acham que se as coisas forem vividas à superficie não contam logo não podem magoar. depois arrependencem-se

s. disse...

*arrependem-se












(que calinada :\)

Menphis disse...

É o chamado amor descartável, vivido em tempos descartáveis.

Francisco disse...

«Gajas "masculinizadas", frias e insensíveis»? Que crítica tão injusta aos homens.


ps: bela foto, cof, cof

Inspirado disse...

o que é fazer amor?

Ema disse...

fazer o amor, o amor.

Inspirado disse...

define lá isso ema...

Joanne disse...

Cada vez mais as mulheres micro-ondas andam ai. "Comida a sério" elas só sabem aquecer, fazer não...requer demasiado tempo e disposição.

Maria del Sol disse...

A Esparsa fez uma observação perspicaz. O amor é muito mais espinhoso que os one-night-stands, mas também não está escrito em lado nenhum que a fugacidade (e, já agora, a facilidade) seja reconfortante. Há que fazer escolhas.

Beijinhos!

tagarelante disse...

oh, mas o one night stand so existe pq é a procura n assumida de um qq resquício amoroso... :p

Miguel Barroso disse...

o amor e suas metasteses...


A SEIVA

Pedro Moreira da Silva Neto disse...

Eu sirvo cafés e derramo roupas fora da cama
e faço amanheceres
Ma se não deperta

Anónimo disse...

Genial post and this post helped me alot in my college assignement. Thank you for your information.