29/04/2008


Colocou o vestido de noite vermelho, calçou os saltos de agulha, pegou nas cigarrilhas e subiu os degraus, um após o outro, para o terraço. O terraço onde a avó lhe falava das gaivotas que vinham a terra quando havia tempestade no mar - a avó que vivera junto ao mar, a avó que se levantava com as galinhas para ir vender o peixe que equilibrava habilmente na cabeça. O terraço onde discutira futuros hipotéticos com a mãe e onde tirara as primeiras fotos em bebé com os primos do Porto que nunca mais vira na vida.

Ignorava por completo o ridículo a que a indumentária a sujeitava. Que disparate, numa casa em pleno campo, vestida daquela maneira absurda. Mas adorava coisas absurdas, que fossem contra os parâmetros daquilo que os outros delineavam como sendo normal. Pegou na cigarreira que herdara do avô - o qual nunca fumara! - e deu um trago no Don Pérignon Vintage que o irmão lhe trouxera da última viagem a França. Adorava aquele líquido magnético, dividido pelas nuances de frutas e minerais, maduro como gostava.

Deliciava-a imaginar o que pensariam os vizinhos, quando a vissem assim vestida, o barulho dos saltos altos a espalharem-se pela aldeia toc toc os cães a ripostarem contra aquele som cain cain, os sinos da igreja a assinalarem as horas dling dlong. Sentia os olhos deles insinuarem-se pelas frestas da janela, atraídos e simultaneamente inibidos pelo despudor dela. Quase que podia jurar ouvir os sussurros, o zun zun que despoletava. Libidinosa, a cor do vestido que envergava era quase herética. Tinha a certeza de que seria ostracizada pelos vizinhos. Mas pouco lhe importava. Depois de tudo ter perdido, pouca diferença faria ter ou não o apreço dos vizinhos.


#Imagem: Marcin Klepacki

5 comentários:

Abssinto disse...

Vale mais um gosto na vida...

;)

pombamarela disse...

olhas para as imagens e crias o texto, ou vice-versa?! Muito interessante :)

H4rdDrunk3r disse...

Vice versa, as imagens é que completam o texto... =)

lampâda mervelha disse...

Em género de purga... um gesto de um gosto e satisfação pessoal.

E quem ainda não o tenha feito... não sabe como sabe bem...

:)

RC disse...

O glamour não escolhe cenários.

Xi.