22/03/2010


Verbalizar sentimentos ou emoções não constituiu nunca problema algum. Fosse por escrito, dito nos olhos de alguém ou sussurrado baixinho ao ouvido. Talvez o arrebatamento próprio da idade, a inconsequência das paixões desenfreadas, as borboletas na barriga a não pararem quietas.



Mas hoje os sentimentos trazem marcas indeléveis de um passado que carregam, não fluem como antigamente, pedem cautela. Acautelada nas palavras, sinto-me implodir na euforia de que pereço, feita prisioneira nas palavras e nos seus incautos sentidos. Aos sentidos então me relego, enquanto saboreio, oiço, cheiro, sinto... E sinto-me viver, plena de candura, a cada toque a que me entrego, a cada beijo em que me perco, a cada centímetro de pele percorrido.




Tornam-se obsoletos os sentimentos, ante a majestosidade dos sentidos.



(suspiro)

6 comentários:

x Barros Gomes disse...

Muito bonito, uma lágrima marota espreitou no meu olho direito. Deixa, cai em graça logo a seguir.

pin gente disse...

(eu também suspiro)

um abraço

TT disse...

Gostei...mas não andam lado a lado?

Desafio global no meu espaço *

H4rdDrunk3r disse...

Olha que não, TT... =)

H4rdDrunk3r disse...

Olha que não, TT... =)

lampâda mervelha disse...

Sim!

:)