14/07/2008

1871... ou 2008?



O país perdeu a inteligência e a consciência moral.
Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada, os caracteres corrompidos.
A prática da vida tem por única direcção a conveniência.
Não há princípio que não seja desmentido.
Não há instituição que não seja escarnecida.

Ninguém se respeita.
Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos.
Ninguém crê na honestidade dos homens públicos.
Alguns agiotas felizes exploram.
A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia.
O povo está na miséria.
Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente.
O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.
A certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências.
Diz-se por toda a parte: o país está perdido!

Eça de Queirós, “As Farpas”, 1º vol., 1871

#: ClaudioDeSousa

11 comentários:

Jaime disse...

É mais difícil em 2008 argumentar que "o povo está na miséria". De resto, há demasiadas coisas que batem certo... :-(

Blue_@ngel disse...

Ao contrário do primeiro comentário, eu acho que é até mais fácil argumentar que o povo está na miséria... Basta olhar em volta e ver as coisas com olhos de ver. Mas, claro, são opiniões.
Agora, essa foto... É crime. A pessoa responsável por esse símbolo do país devia ser punida.

Beijocas.

s. disse...

não sei se colocaste este excerto aqui por o teres ouvido/visto no prós e contras de ontem à noite mas se foi gostava de dizer uma coisa: em que medida é que a apresentadora apresenta o texto? curiosamente só apanhei a intervenção anterior e depois ela a dizer que tinha um texto para o tele-espectador e arriscando ser injusto acho que ela perverteu (e ainda por cima tenho ideia que o fez de propósito) o efeito do texto. a forma como o disse pareceu que ela queria fazer crer passar a ideia de 'ah e tal vejam como nesta altura já se critica as mesmas coisas. isto no fundo não mudou muito e nem estamos assim tão mal como dizem', como a dar ideia de 'as coisas sempre foram assim e sempre assim serão'

Dr. Strangeluv disse...

Preferia que as Farpas não fossem tão actuais.

R.B.M. disse...

Mudam-se os tempos, mas há coisas que nunca mudam...

Menphis disse...

Um país que nasceu porque o filho maltratou a mãe não pode ser um país em condições :)

TT disse...

2008...

Eça contemporâneo e uma imagem excelente! :)

Rosa dos Ventos disse...

Realmente há coisas que nunca mudam, mas também não nos podemos afundar no pessimismo.
Para mal, já basta assim! - como diz o povo.

Abraço

TT disse...

Olá!!...tens um desafio no meu espaço!

*

Corine disse...

tem de facto uma extraordinária verosimilhança com os nossos dias.

a questão dos 50 anos de atraso pode começar por ser discutida com este texto...

exponencial talvez

PDuarte disse...

a chamda intemporalidade de Eça.