25/10/2010

Listen First



Num suspiro inaudível, a terra inteira se curva à tua passagem. Os céus abrem-se num pranto infinito e soçobram num soluço eterno. O teu olhar não mais tocará as planícies desta terra, nem sentirás mais nas costas a passagem de um anjo. O anjo és tu, que me tocas o rosto a cada noite que adormeço. Não mais restará esta areia pegada que denuncie a tua passagem. Ficam areias de outros tempos, de tempos mais felizes em que caminhámos lado a lado, sem pensar que amanhã não seria já assim. Deixas-te um vazio imenso à tua passagem. Um buraco negro que num movimento centrípeto me suga todas as forças, me impregna de medos. Não mais te tenho para me abraçar sem condição, para me lembrar que vale a pena um sorriso, para me aconchegar numa noite fria de inverno que não acaba mais. Noite fria de inverno são todas as noites desde que te foste, e me deixaste neste deserto sem fim, neste mundo árido e cinzento onde não há mais vida. Dentro de mim, sempre e só um eco vazio da tua ausência. Uma certeza do que um dia nos aproximará. Uma morte doce e consumada, para trazer para dentro de nós o que mais importa. O amor incondicional de ser tua, antes, agora e sempre.

Abraça-me só mais uma vez, antes do impiedoso adeus. Antes de não restar mais calor que indicie a vida em ti de outros tempos. Suspira e deixa-te ir. Eu hei-de encontrar-te, sempre!



7 comentários:

Sara disse...

Deixo-te um beijinho grande, de coração apertado (porque sei bem que não há palavras que cheguem) ***

Anónimo disse...

Ler este texto ao som deste Adagio é pesado...comove*

H4rdDrunk3r disse...

és um queriiiiida sarinha :)* e sabes bem do que falo!

lampâda mervelha disse...

http://www.youtube.com/watch?v=jOIAi2XwuWo


*

Luis disse...

Hoje as tuas mãos parecem-se com as minhas ( imortal Cesariny )
http://www.youtube.com/watch?v=BOV0v9G_Wx4

Cláudia R. Sampaio disse...

Há quanto tempo... eu era a Planeta Claudiano, lembras-te? Agora encontro-me aqui
http://genocidiopoetico.blogspot.pt/

Dá notícias, gostava de te "reencontrar" :)

Bárbara disse...

Perfeita conjugação entre o texto e a melodia :)